O MAIS BARATO DE FORMOSA Baixe nosso App e economize em suas corridas em Formosa GO.

Clique aqui e baixe para Android

Link para IOS

Empresário D’Artagnan investigado por grilagem de terras e que usava nome de mortos para fraudar documentos em Formosa é preso no Rio Grande do Sul

Por: Clícia Balbino de Sousa

Com informações: G1

Conforme informações apuradas pela Reportagem do Jornal da Terra, o empresário D’Artagnan Costamilan, que estava foragido há cerca de um mês após ter sua prisão preventiva decretada pela Justiça do Estado de Goiás, foi preso nesta quarta-feira (16/08) em Santa Maria, situada na Região Central do Rio Grande do Sul. D’Artagnan é investigado por grilagem de terras em Formosa-GO.

O Jornal da Terra entrou em contato com a defesa do empresário, mas não obteve posicionamento até a última atualização desta reportagem.

De acordo com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), Costamilan, que tem 73 anos, é suspeito de se apropriar de imóveis fazendo transferências por meio de documentos falsificados. Para isso, em um dos casos, ele e outro advogado, que também é suspeito, utilizaram a assinatura de uma pessoa que já havia falecido há mais de 10 anos.

Em julho, mandados de busca e apreensão foram cumpridos em escritórios, empresas e na residência do empresário. Um mandado de prisão preventiva também foi emitido, o que fez com que Costamilan passasse a ser considerado foragido.

Conforme a Polícia Civil do RS, o empresário estava morando há cerca de um mês em um prédio no Centro de Santa Maria, cidade onde nasceu. O imóvel pertenceria a um membro da família dele. Costamilan foi preso quando chegava em casa.

“Ele estava se escondendo neste condomínio de classe média há cerca de três semanas, logo depois da operação do MP em Goiás. Ele teria se ocultado por uns dias em Santa Catarina e depois vindo para o RS”, explica o delegado Gabriel Casanova, responsável pela prisão.

De acordo com a investigação, Costamilan tem negócios imobiliários no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, além dos que possui em Formosa-GO e região.

Recentemente, o empresário recebeu o título de cidadão de Sombrio, em Santa Catarina, e recebeu homenagem na Câmara de Vereadores da cidade.

Um dos terrenos que foi um dos alvos do grupo, segundo as investigações, tem quase o tamanho de um campo de futebol e foi avaliado em mais de R$ 3 milhões. O dono do terreno, no entanto, morreu em 2015. Já a procuração falsificada, autorizando o outro homem investigado no esquema a vender o terreno do falecido dono, foi assinada em 2019. De acordo com o promotor Douglas Chegury, a pessoa que foi ao cartório fingindo ser o dono do terreno, para oficializar a transferência, não foi identificada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O MAIS BARATO DE FORMOSA Baixe nosso App e economize em suas corridas em Formosa GO.

Clique aqui e baixe para Android

Link para IOS

Site de notícias estaduais, nacionais e internacionais. Privando pela isonomia dos fatos.

Terra FM